3. A utilização da lógica relevante na comunicação lingüística

Ana Lêda de Araújo – Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

de-ruan@openline.com.br

 

     A noção de relevância é essencial para toda comunicação humana, oral ou escrita. É a partir dos juízos de relevância que os interlocutores determinam a significação do locutor, seja ela literal, não literal, ou mais rica que aquela do enunciado que o locutor utiliza e que eles planejam suas respostas ou réplicas numa conversação ordinária. No caso das enunciações literais, a noção de relevância é fundamental porque é a partir dela que se impulsionam os processos mentais dos indivíduos que lhes permitem de determinar, em certos contextos ou situações, se há correspondência entre a significação do locutor e a representação semântica do enunciado que ele utiliza. No caso das enunciações não literais, como os atos de discurso indiretos, as metáforas, a ironia e no caso das implicaturas conversacionais, a noção de relevância é igualmente fundamental: ela permite identificar um desvio entre a significação do locutor e aquela do enunciado que ele utiliza, e a partir de então, ela incita os interlocutores a fazerem uso das capacidades ou habilidades que lhes permitirão de compreender o que quer dizer o locutor. Nossa hipótese é que a relevância tem um papel decisivo no sucesso da compreensão: quando se trata de explicar os processos de comunicação, a noção de relevância deve vir em primeiro lugar visto que ela é pressuposta por não importa qual descrição das normas implícitas da comunicação verbal. Nosso objetivo é contribuir ao avanço das discussões sobre o reconhecimento e o papel da relevância na troca verbal comunicativa. Para isso, analisaremos uma teoria recente que integra as idéias de Paul Grice sobre a comunicação, a teoria da relevância de Dan Sperber e Deirdre Wilson que elaboraram uma teoria da cognição e da comunicação a qual integra um Princípio de Relevância. Infelizmente, algumas de suas definições técnicas, mais precisamente, a definição de implicação não trivial e de graus de relevância, nos permitem de indicar algumas lacunas ali existentes.  O objetivo  desses dois autores é propor um modelo explicativo para a pragmática lingüística situado no contexto da teoria da conversação de Grice. Partindo da idéia de relevância contextual nessa teoria, mostraremos como essa noção não é uma extensão satisfatória das máximas griceanas para desenvolver uma lógica da relevância. Desenvolver um sistema formal exigirá muito mais. Uma lógica da relevância permitirá de resolver, pelo menos em parte, as dificuldades identificadas na teoria da relevância de Sperber e Wilson.

 

Professora da Universidade Federal da Paraíba

Doutora pela Université du Québec à Trois-Rivières – 2000 - Lógica e epistemologia

 

Voltar