7. O arpão e a rede: duas teorias sobre a nomeação ou sobre o dizer e nomear

André da Silva Porto - Universidade Federal de Goiás (UFG)

andresporto@uol.com.br

Celso R. Braida – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

braida@cfh.ufsc.br

Adriano Naves de Brito – Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)

Brito@bage.unisinos.br

 

Desde quando Platão dividiu, no Sofista, em duas partes a proposição – em um “nome” e um “verbo” – o problema da conexão entre esses dois fragmentos proposicionais e seus correlatos ontológicos – respectivamente, os “objetos” e as “propriedades” – tem estado presente no núcleo das discussões filosóficas. Recentemente, o professor Adriano Naves de Brito publicou um volume (Nomes próprios: semântica o ontologia. UnB, 2003) que se propõe a comparar e criticar duas teorizações contemporâneas sobre a conexão nome-objeto. A primeira delas devida fundamentalmente a Frege e a segunda, ainda mais recente, devida a Kripke. A presente mesa redonda tomará como ponto de partida o livro mencionado e procurará explorar e contrastar a teoria descritivista (aquela devida a Frege) e sua concorrente teoria da referência direta (devida a Kripke) sobre os nomes próprios.

Uma outra vertente do debate sobre o livro será a defesa da diferença entre enunciação e nomeação, enquanto conceitos semânticos, visando delimitar a abrangência do conceito de nome na formulação de uma teoria compreensiva da linguagem. Para isso, mostrar-se-á, primeiro, que o dizer e o enunciar não podem ser reduzidos à função de nomeação e nem podem ser explicados com noções derivadas dessa função; segundo, que a função de nomeação depende de outras funções semânticas, as quais apenas se deixam compreender quando se tem presente uma noção de enunciação; e, terceiro, que os nomes não são parte essencial da linguagem, no sentido de ser possível enunciar e dizer sem nomear.

 

André da Silva Porto

Professor da Universidade Federal de Goiás.

Doutor pela PUC-RIO – 2002 – Filosofia da linguagem.

 

Celso Reni Braida

Professor da Universidade Federal de Santa Catarina

Doutro pela PUC-RIO  - 2001 - Filosofia contemporânea

 

Adriano Naves de Brito

Professor da Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Doutor pela UFRGS -1998 – Filosofia da linguagem.

Bolsista do CNPq, nível II.

 

Voltar